quinta-feira, 8 de dezembro de 2005

REVIEW

VISION DIVINE - The Perfect Machine



Quarto álbum de estúdio dos italianos Vision Divine e segundo com Michele Luppi na voz, após a saída de Fábio Lionne (Rhapsody) e diga-se que não perderam nada com esta mudança, pois Michele é o vocalista perfeito para a sonoridade dos Vision Divine.
"The Perfect Machine" é sem duvida o melhor álbum da banda, progressivo mas sem exageros, melódico na medida certa, roqueiro em alguns momentos e power metal de qualidade.
Suportado liricamente pelo conceito de que em 2043 um biologista decifra o código genético de ADN humano, é apenas um dos pontos fortes do álbum, já que instrumentalmente estamos perante grandes músicos que respiram qualidade, sem esquecer a límpida produção de Timo Tolkki (Stratovarius).
Liderados pelo guitarrista, pricipal compositor e letrista Olaf Thorsen, ex-Labyrinth é nele que se deposita a maior responsabilidade pela grandiosa obra criada, sendo um virtuoso por excelência demonstra toda a sua classe ao longo do álbum.
Temas como "God Is Dead", "The River", "1St Day Of A Never-ending Day" farão as delícias de quem os conhece bem e surpreenderá quem os desconhece.
Os Vision Divine vêem provar que a cena italiana não se resume apenas aos Rhapsody e a prova é "The Perfect Machine" ser um dos melhores álbuns de 2005.

Nota: 9/10
Por: Adelino Oliveira

Sem comentários: