sábado, 8 de março de 2008

Guitar Hero - Marcelo Barbosa

Talento e virtuosismo são a marca do guitarrista Marcelo Barbosa, professor e músico dos Khallice e Almah, transmite todo o seu talento e conhecimento na entrevista cedida ao Metal Morfose.


Metal Morfose - Quando é que começas-te a tocar guitarra, até chegares a músico profissional?

Marcelo Barbosa - Comecei há quase 20 anos, quando tinha uns 13 ou 14 anos de idade. Na época, como a maioria da garotada da minha idade, gostava de rock brasileiro e de bandas internacionais como os Iron Maiden e AC/DC. Tive aulas particulares com alguns professores e comecei a tocar em bandas locais, tocava covers e também músicas próprias. Aos poucos descobri que a música era realmente o meu caminho e assim surgiu a necessidade de uma dedicação maior, em termos de estudo e comprometimento. A partir daí as coisas começaram acontecer naturalmente. Comecei a dar aulas particulares, a tocar como sideman de alguns artistas, a fazer gravações e a ser convidado para bandas maiores. Hoje em dia divido o meu tempo entre aulas, concertos e produções.

Metal Morfose - O Professor Allan Marshall ensinou os princípios da harmonia e improvisação, como foram as aulas dele, e detalhes do contexto didáctico?

Marcelo Barbosa - Tive aulas com muita gente, mas de facto o Allan, foi com quem estudei mais tempo. Tive a sorte de encontrá-lo pois era um guitarrista muito eclético e com bastante conhecimento. As suas especialidades eram o blues, o rock clássico e posteriormente o jazz. Com 16 ou 17 anos, tive contacto com alguns standards de jazz que apesar de não serem o meu estilo ajudaram-me muito. Estudávamos cada tema individualmente, fazíamos a análise harmónica e em seguida quais as melhores opções de escalas e harpejos para improvisar sobre aquele tema, sempre respeitando as changes dos acordes. Isso ajudou-me muito musicalmente.

Metal Morfose – Quais os guitarristas que influenciaram a tua carreira?

Marcelo Barbosa - Muitos... no começo Satriani, Malmsteen, Vai e Vinnie Moore.
Depois, conheci Greg Howe e Ritchie Kotzen. Hoje oiço Brett Garsed, Allan Holdsworth e Scott Henderson. É claro que eu não poderia deixar de citar vários guitarristas brasileiros, muitos dos quais, além de grandes amigos são também uma grande fonte de inspiração e aprendizagem.

Metal Morfose – Qual é o modelo de guitarra, equipamento, palheta, que usas nos espectáculos?

Marcelo Barbosa - Tenho um contrato de endorse com uma das maiores fábricas brasileiras de guitarra, a Tagima. Há quase dois anos desenvolvemos um instrumento signature para mim, a MB-1, que tem sido usada constantemente nos meus concertos, como a minha principal guitarra. Uso palheta jazz III da Dunlop e o equipamento varia dependendo do gig.
Para apresentações menores, em pubs e teatros para até 300 pessoas uso mais o meu Line 6 Flextone III.

Metal Morfose – Quando surgiu a ideia de montar o Instituto de Guitarra, é verdade que todo o material didáctico foi elaborado por ti?

Marcelo Barbosa - A ideia surgiu quando comecei a dar aulas particulares. A cidade onde moro (Brasília) era desprovida de um instituto especializado, que pudesse atender à demanda de guitarristas iniciantes. Em meados de 85 comecei a realizar o que até então era apenas um sonho, e de lá para cá a coisa só cresceu. Hoje somos três unidades em Brasília que atende mais de 500 alunos. Sou o responsável pelo material didáctico do curso de guitarra, que foi concebido com base na minha experiência pessoal e tem grande funcionalidade.

Metal Morfose – Fala um pouco mais das escolas que montaste e a perspectiva de inaugurar unidades noutros estados brasileiros e até outros países como Portugal?

Marcelo Barbosa - Com quase dez anos de escola surgiu-me a ideia e a oportunidade de franquiar o GTR. Algumas pessoas interessaram-se e quase que simultaneamente as outras duas escolas foram inauguradas. Recebo frequentemente emails de pessoas interessadas em abrir um GTR no seu estado, mas ainda não tenho nada devidamente fechado para escolas fora de Brasília. Seria muito interessante ter um GTR fora do país e mais ainda em Portugal. Quem sabe a entrevista desperta o interesse de alguém por aí.

Metal Morfose – Foste colunista das revistas Guitar Class, Guitar Cover e actualmente escreves para a Revista Guitar Player, como é a elaboração da tua coluna?

Marcelo Barbosa - Gosto de escolher um assunto específico. As colunas são curtas e por isso, não dá para ir ao fundo do assunto seja ele qual for. Escolho o assunto e passo vinte, trinta colunas sobre o mesmo assunto, abordo diferentes formas e utilizações para ele. Na Guitar Class eu escrevia sobre escalas pentatônicas. Na Cover Guitarra, sobre harpejos. Na Guitar Player estou a escrever sobre fraseado. Costumo passar uma técnica e o modo teórico por de trás desta técnica, para dar condições ao estudante de poder desenvolver as suas próprias ideias.

Metal Morfose – A Tagima lançou um extraordinário modelo de guitarra, modelo Signature, a MB-1. Como foi o desenvolvimento até chegar a um instrumento perfeito?

Marcelo Barbosa - Fui algumas vezes a São Paulo discutir o modelo com o luthier Seizi Tagima. Levei algumas guitarras que eu gostava, para servirem de referência e padrão e fiz várias anotações do que eu gostava numa guitarra. Queria sair do óbvio e por isso optei por usar um shape baseado na telecaster e não na strato.
Primeiro fizemos um protótipo e a partir das modificações necessárias para ele o modelo definitivo. O resultado foi uma tele moderna, com 24 casas, floyd rose e humbuckers. O som da MB-1 é matador e a forma de tocar maravilhosa.

Metal Morfose – Há quanto tempo fazes parte do dream team da Tagima?

Marcelo Barbosa - Aproximadamente 5 anos. É um prazer e uma realização fazer parte deste núcleo de guitarristas. O Tagima Dream Team é formado não só por excelentes guitarristas mas também por excelentes pessoas e tem um excelente clima, é bom quando encontramo-nos na feira de música ou em qualquer outro evento.

Metal Morfose – Como andam os trabalhos com as bandas Khallice, Almah e Zero10?

Marcelo Barbosa - Os Khallice estão em estúdio a terminar as gravações do segundo CD, que será lançado pela Magna Carta ainda no início de 2008.
Os Almah fizeram uma pausa na tour para prepararem o segundo CD e estamos em fase de composição e pré-produção e os Zero10 continuam a tocar todas as semanas. Tratasse de uma banda de covers muito conhecida na minha cidade, que há mais de 8 anos apresentasse em casas nocturnas e atrai sempre muito público.

Metal Morfose – Os teus fãs em Portugal podem esperar por uma tournée dos Khallice e workshops?

Marcelo Barbosa - Com o lançamento do CD, o que mais queremos é viajar, principalmente pela Europa e Ásia, países onde nunca estivemos a tocar. Com certeza, a acontecer uma tour europeia, seria demais poder aproveitar e fazer alguns workshops.

Metal Morfose – Como é que administras a tua carreira com as bandas 3 bandas, aulas no GTR, Workshops e colunista da Revista Guitar Player?

Marcelo Barbosa - Não é fácil. Tento não dormir demais... (risos). Sou uma pessoa com muita energia para produzir e sinto-me bem e vivo a fazer isso. Tento conciliar tudo sem negligenciar um ou outro ponto. Disciplina ajuda e força de vontade também. Quando vivemos e trabalhamos com o que gostamos o tempo se multiplicasse. É o meu segredo, faço o que amo.

Metal Morfose – Monta a banda Metalmorfose?

Marcelo Barbosa - Que pergunta difícil... Tem tanta gente boa que fica de fora. Vou fazê-la baseando-me no que ouvi e no que ando a ouvir actualmente!
Jorn Lande - Voz
Billy Sheehan - Baixo
Mike Terrana - Bateria
Kevin Moore - teclados
Marcelo Barbosa - Guitarra

Metal Morfose – O Metal Morfose agradece a tua participação na sessão guitar hero, é uma honra ter-te na nossa história. Considerações finais e mensagem aos fãs de Portugal?

Marcelo Barbosa - Eu é que agradeço pela consideração e pela conversa. É um prazer poder entrar em contacto com as pessoas de Portugal, que curtem o meu trabalho. Fiquem à vontade para entrarem em contacto comigo através do meu site www.marcelobarbosa.com.br e espero em breve poder encontrá-los pessoalmente num concerto por aí.

http://www.marcelobarbosa.com.br/
http://www.gtr.com.br/gtr/
http://www.khallice.com.br/khallice/
http://www.zero10.com.br/zero10/

Entrevista por: Aldo Beehlerr

4 comentários:

Anónimo disse...

Ola Aldo:)
Parabens pela xeletne entrevista!! e fui a primeira a comentar ehehehehehe:P
gostei imenso do k este senhor flou e as influencias dele sao brutais, xelentes bandas mesmo!!! espero k ele venha aki um dia:) terei mto gto em ir velo ao vivo!! Meu caro nao sou a unicaa fazer xelentes entrevistas a tua esta espetacular, os meus parabens pelo trabalho mto bom msm:) xelentes pergtas k me deixaram completamente esclaresida! abraços**
Hanna Tsepesh

burns disse...

otima entrevista com o guitarrista Marcelo Barbosa!!!
Realmente se trata de um excelente guitarrista, muita tecninca e harmonia!!!E tmbm demostrou ser muito simpatico e profissional ao dar a entrevista!!!
mais uma vez o Metal Morfose esta de parabens pela otima materia!!
Estamos sempre de olho no blog!!
Hails do Brasil!!!

Anónimo disse...

Marcelão rules!YeaaahhhHhH!!!!!

Anónimo disse...

Grande guitarrista brasileiro!
Excelente entrevista!