domingo, 23 de novembro de 2008

REPORTAGEM - THE DONNAS


The Donnas mostra que Rock ´n Roll também é coisa de mulher.
Novamente em tournée pelo Brasil, as norte-americanas The Donnas passaram por Santos, na quinta-feira, dia 6 de Novembro. Quando cheguei à frente da Royal Mercúrio, o pouco movimento surpreendeu-me. Havia algumas pessoas espalhadas, mas nada de um público massivo.
A situação estava um tanto complicada. As meninas, cheia de pompa, não gostaram da casa, não tinham passado o som como queriam e estavam fazendo um doce. Ao encontrar a amiga de profissão Lisa Magalhães, editora da revista Lun'Attica (ex- revista Rock Feminino), ela confidenciou-me que as coisas não estavam muito amistosas e conversando com o manager das californianas, Joey Minkes, ele confirmou que as moçoilas estavam um pouco irritadas, insatisfeitas e cansadas, por isso, até uma entrevista com as mesmas seria difícil.
No entanto, assim que Brett Anderson (vocal), Allison Robertson (guitarra), Maya Ford (baixo) e Torry Castellano (bateria) subiram ao palco, parecia que nada tinha ocorrido anteriormente. O quarteto logo botou o pessoal a pular. A promessa de levar os fãs à loucura estava paga. Destaque para Bitchin’, Smoke You Out, It Takes One To Know One, Take it Off e a engraçadíssima, mas marcante Don´t Wait Up for Me. Do começo da carreira tivemos Everyboby smoking Cheeba. Wasted também teve o seu destaque quando roubaram um cachorrinho de peluche que Brett tinha ganhado no camarim e a cantora levou para o palco.
O concerto também teve espaço para uma parte política. Brett expressou literalmente a sua felicidade pela eleição do novo presidente norte-americano Barack Obama. Até ai, tudo bem, ela está falando do seu novo presidente e que está sendo considerado o salvador da pátria. Mas, o mais estranho, é ver um monte de jovens desmiolados gritando o nome do primeiro negro a chegar ao posto mais alto na terra do Tio Sam como se fossem marionetes. Na minha opinião, esta atitude é totalmente estranha e inaceitável. Esse foi apenas um comentário da frontwoman e não merecia ser levado tão adiante, com tanto clamor público. Eu sei que muitas atitudes dele podem influenciar o nosso cotidiano, mas gritar seu nome é pura atitude de acéfalos.
Tirando isso, as míudas souberam domar o público. Brett Anderson é uma frontwoman de marca maior. Sabe ser sexy, interagir e não soar enjoativa. A guitarrista Allison Robertson é o Dave Mustaine de calcinha. Ela não toca como o mentor dos Megadeth, mas a cabeleira dela lembra bem o começo de carreira de seu compatriota. Madeixas à parte, Allison toca muito. A baixista Maya Ford pode ser um amor de pessoa para os fãs, mas no palco ela é um poste! Dá um passinho para cá, outro para lá e nada mais. Nem na frente do palco ela chegou. Já a baterista Torry Castellano senta a mão no seu kit sem dó e piedade. Mesmo morrendo de calor, Torry ditou o ritmo acelerado até o fim. Infelizmente, no final da apresentação, ela não aguentou e passou mal no camarim.
No entanto, a noite que era para ser só de festa teve um outro péssimo imprevisto. Infelizmente, sempre tem porco idiota no meio de quem está querendo apenas se divertir. A jovem Liza Farina, fã de longa data das The Donnas e, assim como muitos fãs, desceu a Serra para conferir mais um concerto da tournée Bitchin’, foi esmurrada covardemente por uma punk (tinha que ser!) de boina (?) marrom. A agressão ocorreu simplesmente porque a vocalista Brett Anderson dedicou a músicas Who Invited You especialmente para Liza. Lamentável. O pior de tudo foi que a agressora saiu impune e rindo à toa.
As bandas de abertura foram Rockers, Zebra Zebra, Reativa e Kaizen. Se chegaram justamente na hora que as quatro meninas começaram a apresentar-se sorte a vossa! Foi a pior tortura musical que já presenciei nos meus nove anos de cobertura jornalística!
As The Donnas não são as garotas super poderosas que tanto desejam ser, mas pelo menos salvaram a noite e mostram que mulheres também tem espaço no Mundo do Rock ´n Roll.

Agradecimento: Fabrício (Garage Fuzz).

Por: Costábile Salzano

Sem comentários: