REVIEW: PAINTED BLACK - RAGING LIGHT

Volvidos 7 anos os Painted Black lançam o seu novo álbum de originais Raging Light. Se na altura com o seu primeiro rebento Cold Comfort, nos tinham surpreendido pela positiva, este novo trabalho nota-se uma banda mais madura, que elevou ainda mais a sua qualidade.
Raging Light passeia pelo progressivo, death com toque melancólico, com melodias que nos transportam e que repentinamente nos faz chocar com a rudeza.
Dead Time abre o disco com pujança e desde logo nota-se o cuidado na produção, a voz do Daniel Lucas é um dos pontos fortes da banda, com tons entre a melodia e o gutural sempre com peso e medida.
Todo o álbum é coeso e equilibrado, no qual o virtuosismo musical se destaca, mas sem caírem em exageros desnecessários. Nota final para os 17 minutos Almagest, que fecha de forma brilhante o disco, que é obrigatório na coleção dos fãs nacionais e que nada fica a dever ao que de melhor se faz além fronteiras.
 9/10

1. The Raging Light
2. Dead Time
3. The Living Receiver
4. Absolution Denied
5. Chamber
6. In the Heart of the Sun
7. I Am Providence
8. Almagest

Editora: WormHoleDeath

Membros:
Daniel Lucas - Voz
Luís Fazendeiro - Guitarra & Sintetizador
Gonçalo Sousa - Guitarra
António Durães - Baixo
Filipe Ferreira - Bateria

Página: www.painted-black.org

Comentários

Mensagens populares deste blogue

REVIEW: HOURSWILL - HARM FULL EMBRACE

REVIEW: TOXIKULL - THE NIGTHRAISER