terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

ENTREVISTA - Corpus Christii

Os Corpus Christii são actualmente uma das bandas que erguem bem alto a bandeira do black metal nacional. O líder Nocturnus Horrendus falou sobre o novo trabalho “Rising”, concertos futuros e como se iniciou na arte do black metal.

Metal Morfose: Gostaria que nos falasses um pouco sobre o início da tua carreira, e dos Corpus Christii, para que os leitores conheçam melhor o teu trabalho.

Nocturnus Horrendus: Corpus Christii materializou-se em 1998, ano em que decidi começar a fazer o que realmente gosto, black metal. Até então estava pouco satisfeito com os projectos anteriores, então meti mãos à obra e comecei com a banda, banda essa que já tinha em mente há uns anos.
Recrutei o Ignis Nox com quem tinha trabalhado em Noctu e começamos logo a trabalhar arduamente, assim que saiu a demo “Anno Domini” as coisas tornaram-se imparáveis. Até agora foram já 9 anos sempre com inúmeros lançamentos em todos os formatos, cassete, vinyl e CD.
A mutação tem sido constante mas sempre definida pelos padrões que inicialmente eu tinha exposto. Corpus Christii é mais que uma mera banda, é uma eficaz arma contra a raça humana.

Metal Morfose: Podes-nos dizer o teu background musical?

Nocturnus Horrendus: Comecei a interessar-me por música aos 6 anos de idade, os meus primeiros dois álbuns foram “Somewhere in Time” dos Iron Maiden e “Them” dos King Diamond, álbuns que ainda hoje são dos meus favoritos.
Desde aí sempre me interessei pelo metal e fiquei para aí virado mas no entanto nunca ignorei outros estilos musicais, sempre gostei e ainda gosto de pop rock 80’s e mesmo actual, creio que apareceu um bom leque de bandas de pop rock nos últimos anos.
Mesmo quando estou em fase de composição é raro ouvir black metal, não gosto de ser influenciado (in) directamente, mesmo neste momento estou a ouvir Joy Division. Acho que não há espaço para limitações num músico, em muitos casos variar leva o ouvinte a aperceber-se quão gosta daquilo que faz e onde tem mesmo o seu coração. Black metal satanista é a minha vida e sei que continuarei a ser fiel até ao final dos meus dias.

Metal Morfose: Satã faz parte das tuas influências como também inspiração para criares (se não estou errada), podes fala-nos melhor sobre o que queres transmitir?

Nocturnus Horrendus: É um assunto delicado, assunto que tento mais transmitir com a minha música e letras, não falar sobre isso. Deixo que os ouvintes/leitores tirem as suas próprias conclusões sobre o que quero transmitir. Arte é isso mesmo, dar liberdade à pessoa para assimilar como melhor entender, mas é claro que há casos em que discordo muito com a visão dessa pessoa sobre o que faço, mas faz parte desta função.
Gosto que as pessoas questionem-se e acima de tudo fiquem confundidas, é a partir daí que uma pessoa pode evoluir e querer descobrir a verdade. É disso que Satanás se trata para mim, a verdade, o derradeiro estalo na nossa cara e nossas insignificantes vidas.

Metal Morfose: Acredito que todos aqueles que gostam do teu trabalho, perceberam perfeitamente o que queres dizer. Continuando a falar de influência em termos de bandas, tens alguma?

Nocturnus Horrendus: Todos temos, uma banda tem sempre um background, uma primeira influência. Posso dizer que para mim ao início estava bastante focado em Mayhem, Darkthrone, Arckanum, Vlad Tepes etc, a partir de certa altura simplesmente segui o que parecia mais natural, fazer algo criativo, algo diferente e não ser clone de ninguém.
Não que ache que ao início a banda tivesse sido um clone, pois nunca o foi, mas é verdade que me influenciava fortemente, agora já não é o caso. C.C. tem o seu próprio som e alma.

Metal Morfose: Falando agora um pouco sobre o álbum “Rising”, estive a ouvir e gostei muito, os meus sinceros parabéns aliás para mim, foi um dos melhores álbuns nacionais do género. Para aqueles que ainda não adquiriram podias falar um pouco dele?

Nocturnus Horrendus: “Rising” é um complexo álbum com um complexo contexto que já vem de dois álbuns anteriores, da trilogia “torment”. Um álbum que absorve várias vertentes, do doom metal até um toque de avantgarde, mas claramente um álbum de black metal.
Quase uma hora de música com bastante variação, de momentos bem lentos a “blast beat”, de amargura a pura raiva e insanidade.
Já me tem sido dito que não é um álbum “fácil” mas que mesmo assim pessoas de diferentes gostos têm assimilado e apreciado, talvez abrindo novos horizontes. Agora cabe a cada um ouvir e tirar a sua conclusão.

Metal Morfose: A informação também que me tem chegado acerca do teu álbum foi precisamente esse, não sendo um álbum “fácil”, mas talvez por isso as pessoas tenham gostado e também estarem cada vez mais interessadas no teu trabalho. Na gravação do álbum já tinhas em mente o que querias fazer em “Rising”, ou as ideias foram-te surgindo á medida que ias compondo? Já agora, porquê do título “Rising” para o álbum?

Nocturnus Horrendus: Quando fui para estúdio só tinha dois temas feitos e alguns riffs, o resto foi mesmo todo conseguido em estúdio. O processo foi muito natural e sinceramente não esperava que tivesse feito assim tanto em tão pouco tempo. Praticamente só tive 15 dias em estúdio mas foi bastante construtivo, no entanto nada stressante.
Houve imensa coisa que foi para o lixo mas foi tudo rápido visto que ia gravando ao mesmo tempo que ia fazendo algo, também porque o produtor (Daniel) é bastante competente e lidamos bem um com o outro. Outro factor onde se perde normalmente muito tempo é a bateria mas foi também bastante rápido visto ter sido o Menthor, um baterista incrível, e no mínimo ideal para Corpus Christii.
“Rising” transparece a luta que tem sido com a trilogia “torment”, a queda necessária que uma pessoa tem de enfrentar para aí sim erguer-se e alcançar o abismal desejo de se ser superior, de simplesmente ser acima de todas as futilidades deste mundo comum. É da queda que se aprende, é da queda que se obtém a consciência.

Metal Morfose: Uma última questão. Pelo que li no Myspace da banda este ano vais dedicar-te mais aos concertos ao vivo, poderias dizer as datas e locais onde vais estar? Também li que estarás no Hells Pleasure Metal Fest (Alemanha), certo?

Nocturnus Horrendus: De momento temos 11 concertos agendados, alguns festivais. Em Portugal só temos agendado de momento dia 29 de Março em Corroios com Merrimack, Vorkreist e Infernal Kingdom. Depois temos o Grândola Fest dia 27 de Junho. No entanto vamos fazer duas mini tours lá fora em Abril e Maio. Temos já mais coisas em mente mas é sempre complicado marcar alguma coisa visto termos dois elementos lá fora, um em França, outro na Bélgica e em breve mais um em Londres. É muito complicado gerir isto tudo e claro fazer as coisas com que não se perca dinheiro.
Sabemos que cada vez há menos pessoas nos concertos e claro que isso não ajuda em nada para que seja possível realizar algo mais elaborado, especialmente em Portugal.
O Hells Pleasure fest será de momento o maior festival que temos agendado para este ano, vamos tocar com bandas como Melechesh, Enthroned, Denial of God etc, vai ser um bom fest mas também estou ansioso para tocar no Misanthropic Violence Fest, já lá tocamos uma vez há uns anos e foi muito bom.

Por: Hanna Tsepesh
http://www.myspace.com/corpuschristii666

10 comentários:

Anónimo disse...

Ola

Parabens Hanna Tsepesh,mais uma otima entrevista perguntas inteligentes e respostas esclarecedoras.Gostei de conhecer mais sobre o Corpus Christii.Satanás como verdade,de uma visão filosófica pode ser sim,satanás é a negação da dialetica certo e errado,portanto, da negação e da afirmação pode nascer uma sintese interresante(verdade)

Abraço
Marcello Valsesia

Anónimo disse...

Olá Marcello:)
muito obrigada pelo teu comentario!!Fico feliz que gostas-te pois queria dar a conheçer um pouco do black metal portugues;) e nda melhor que Corpus Christii ehehehe! C.C e uma xelente banda mesmo!!!
abraços e obrigada pelo comentario como tb pelo apoio.
Hanna Tsepesh

Aldo Beehlerr disse...

Banda Corpus Christii ,é o que há de melhor no Black Metal na Europa ,uma sonoridade sem mesmices ou copias de outras bandas do gênero ,estilo direto e inconfundivel !!!
O lider Nocturnus Horrendus é um talento musical extraordinario ,com o album Rising é disparado o melhor no estilo Black Metal de 2008
O mais incrivel que magnifica Hanna Tsepesh faz a entrevista ficar a cada pergunta mais interessante ,é como se fosse um filme de suspense!!
Parabens querida amiga , por mais essa obra prima no Metalmorfose !!
Bjs

Aldo Beehlerr

Lin-Kuei disse...

Parabéns Hanna :) temos entrevistadora e MAINADA!!
A banda entrevistada força nisso e muita sorte que é bem precisa :P
Lin-Kuei

Anónimo disse...

Ola Aldo Beehlerr:)
Fico muito feliz que gostes de C.C, tb tenho a msm opniao que tu!eia bem nem sei que te dizer MUITO MAS MUITO obrigada pelo elogio, serio lol n sei mais o ke dizer. Fico feliz que estejas a gostar do meu trabalho:) muito obrigada msm!!!eheh esperamos k a proxima tb seja um filme de suspense;) ehehehe muito obrigada querido Aldo.
Abraços
Hanna Tsepesh

Dherius disse...

A genialidade do senhor Nocturnus Horrendus parece não ter fim.
Um excelente término à trilogia iniciada com "Tormented Belief", um albúm com muito boa produção em que destaco a bateria infernal do Menthor, as melodias são bastante boas e aquele toque de doom assenta que nem uma luva.
Este disco é uma prova que não é só na Noruega que se fabrica do melhor puro black metal.
Pena que não se perdem muito por terras lusitanas gostava de vêr como soa o "Rising"...
E pronto, confesso que borrei as calças com a "Outro" lol

Continua com o bom trabalho Hanna!

Anónimo disse...

OLa pessoa:)
Muito obrigada Lin-Kui pela força;)AHAHAHAHAHAH!! e sempre bom ver pessoal a gostar do k le e da me sp mais força pa continuar a fazer mlhor;)!! e Um muito obrigada a Dherius;) e tens tda a razao msm nao e so na noroega e quero provar ao pll aki de portugal k temos xelentes bandas, nao so no black metal cm em outros estilos..agr resta aguardar pa mais entrevista;) brigadao a tdos do coraçao msm!!!eheheheh
abraços
Hanna Tsepesh

Anónimo disse...

Gostei muito da entrevista e do esclarecimento que obtive atraves da mesma...pois de Metal confesso que gosto de poucos, mas fico feliz por saber que na nossa Terra á gente de valor no mundo músical! E "linda" Parabens! A ambos! Olinda Louro

Anónimo disse...

Ola Mãe(Olinda Louro)! AHAHHAAHAHHA
Obrigada por teres aqui passado e pelo teu comentario, es uma kerida:)
E desculpa os dias(alias todos os dias a toda a hora lol) de musica em "altos berros" mas como ves vale a pena!!!EHEHEHEHEHE:P
E como disses te e bem e bom saber que existe bandas com grande valor como C.C entre outras! Abraços
Hanna Tsepesh

Aldo Beehlerr disse...

Long Live Rock in Roll

Saudações Hanna Tsepesh,

Quando eu disse que a cada pergunta que vc fez na entrevista com Corpus Christii parecia um filme de suspense ! eu quis dizer , que vc passou muita emoção a cada frase e pergunta feita ;

Ate a proxima ,amiga

Aldo Beehlerr